Vacinação contra covid-19

Todas as pessoas com 5 anos ou mais podem receber a primeira dose.

Documentos necessários:

– Documento de identidade, número do CPF e, se possível, a caderneta de vacinação.

– Para a segunda dose e a dose de reforço, é fundamental levar também o comprovante de vacinação da primeira dose.

Documentos necessários para vacinação de crianças (5 a 11 anos):
– Caderneta da criança e um documento de identificação, como CPF.

Locais de vacinação

8h a 12h

  • Cidade das Artes – Barra da Tijuca (substitui CF José de Souza Herdy)
  • Policlínica Lincoln de Freitas Filho – Santa Cruz
  • Policlínica José Paranhos Fontenelle  Olaria 
  • Museu da República – Catete (substitui CMS Manoel Jose Ferreira)

     

9h a 12h 

  • Shopping do Méier

     

Quem pode se vacinar?

Quem deve tomar a primeira dose (dose inicial)?

  • Pessoas com 5 anos ou mais que ainda não se vacinaram.

Quem deve tomar a segunda dose?

  • Pessoas com 5 anos ou mais que tomaram, na primeira dose, as vacinas CoronaVac, Pfizer ou AstraZeneca, de acordo com a data marcada no comprovante.

Quem deve tomar a primeira dose de reforço?

  • Pessoas com 12 anos ou mais, com intervalo de 4 meses após a segunda dose.
  • Pessoas com 18 anos ou mais que tomaram Janssen na primeira dose devem tomar o reforço 2 meses depois da primeira dose. 
 

Quem deve tomar a segunda dose de reforço?

  • Pessoas com 40 anos ou mais, com intervalo de 4 meses após a primeira dose de reforço.
  • Trabalhadores da saúde com 18 anos ou mais, com intervalo de 4 meses após a primeira dose de reforço.
  • Pessoas com 18 anos ou mais que tomaram Janssen na primeira dose, com intervalo de 4 meses após a primeira dose de reforço.

Quem deve tomar a terceira dose de reforço?

  • Pessoas com 40 anos ou mais que tomaram Janssen na primeira dose, com intervalo de 4 meses após a segunda dose de reforço.
  • Pessoas imunocomprometidas com 12 anos ou mais devem tomar uma terceira dose (dose adicional) 8 semanas após a segunda dose, sendo o intervalo de 8 semanas (mínimo de 4 semanas). Devem tomar mais uma dose de reforço após a terceira dose, com intervalo de 4 meses. ( D1, D2, D3 + R1). É necessário apresentar comprovação.
  • Pessoas com 18 anos ou mais imunocomprometidas que receberam três doses no esquema primário (duas doses e uma adicional) devem tomar o primeiro reforço com intervalo de quatro meses da dose adicional e o segundo reforço com mais 4 meses de intervalo (D1, D2, D3, R1 e R2). É necessário apresentar comprovação.

Condições que configuram alto grau de imunossupressão:

  • Imunodeficiência primária grave
  • Quimioterapia para câncer
  • Transplantados de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids
  • Uso de corticoide em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥ 14 dias
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune
  • Autoinflamatórias, doenças intestinais inflamatórias
  • Pacientes em hemodiálise
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas


Observações:

  • A dose pediátrica da Pfizer é destinada exclusivamente às crianças de 5 a 11 anos, incluindo crianças imunocomprometidas. O esquema recomendado é de 2 doses, com intervalo de 21 dias entre elas.
  • A CoronaVac é indicada às crianças entre 6 e 11 anos, com esquema de 2 doses, com intervalo de 28 dias entre elas. Essa vacina não será aplicada em crianças com comorbidades que sejam imunocomprometidas.
  • Crianças de 5 a 11 anos com deficiência e/ou comorbidades podem se vacinar em qualquer dia do calendário desta faixa etária, independentemente da idade.
  • A imunização de crianças e adolescentes é comprovadamente segura e tem eficácia contra o agravamento da covid-19.
  • Para maiores de 18 anos, é possível antecipar a dose de reforço até o intervalo mínimo de três meses em casos de viagem, problemas de saúde e outras questões pessoais. Para orientação, procure uma unidade de Atenção Primária.

     

  • Gestantes e puérperas, com e sem comorbidades, por orientação do Ministério da Saúde, receberão apenas as vacinas Pfizer e CoronaVac, de acordo com a disponibilidade. Devem apresentar laudo médico detalhado justificando a recomendação e avaliação da relação risco-benefício para a vacinação, além da assinatura do termo de esclarecimento.

     

  • Está com sintomas gripais? Faça o teste!

Devem apresentar cartão de pré-natal, além da assinatura do termo de esclarecimento.

Gestantes que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca estão autorizadas a completar seu esquema vacinal com a segunda dose da vacina da Pfizer, 12 semanas após a primeira dose. É necessário apresentar comprovante da primeira dose, laudo de avaliação dos riscos e benefícios emitido por seu médico e assinatura do termo de esclarecimento disponível aqui.

Lactantes precisam apresentar indicação do profissional de saúde que realiza o acompanhamento da criança. 

Deficiência física, auditiva, intelectual; psicossocial (mental), visual, múltipla (associação de duas ou mais deficiências), transtorno do espectro autista. CLIQUE AQUI E ENTENDA. 

Pessoas com deficiência psicossocial são aquelas que, apesar do tratamento e medicação otimizados, mantêm uma condição de sofrimento de longo prazo que as incapacita a terem uma participação plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas. O conceito de deficiência psicossocial é definido pela Organização Mundial de Saúde e reconhecido na Lei Brasileira de Inclusão (LBI 13.146/15). As condições clínicas são variadas e o paciente, para ser vacinado, deve apresentar laudo médico que explicite a deficiência psicossocial.

A comprovação poderá ser feita por meio de qualquer laudo da rede pública ou particular que indique a deficiência; cartões de gratuidade no transporte público; documentos comprobatórios de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas no atendimento de pessoas com deficiência; documento oficial de identidade com a indicação da deficiência; ou qualquer outro documento que indique se tratar de uma pessoa com deficiência.

A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência criou pranchas de Comunicação Alternativa que podem ser utilizadas para o apoio ao atendimento de pessoas que não se comunicam por meio da língua portuguesa e/ou sejam não-verbais.

Caso haja a necessidade ou o desejo do paciente que usa Libras de se comunicar, será possível contar com o suporte da Central Carioca de Intérprete de Libras por meio de vídeo-chamada via WhatsApp e/ou Skype pelo número (21) 98909-1373.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A DESCRIÇÃO DAS DEFICIÊNCIAS 

CLIQUE AQUI E BAIXE A DECLARAÇÃO DE RESPONSÁVEL POR CRIANÇA (5 a 11 anos) COM DEFICIÊNCIA

Em caso de alguma queixa clínica após a vacinação, vá ao local onde se vacinou para avaliação.

Tem dúvidas ou divergências sobre o registro de vacinação no ConecteSUS?

Procure a unidade de saúde em que se vacinou com o comprovante de vacinação, documento de identificação com foto e CPF ou Clique aqui para acessar o site prefeitura.rio/suporteconectesus

Vacinação em domicílio:

– O responsável ou acompanhante deve procurar a unidade de saúde de referência e solicitar o agendamento.

– Para solicitar o agendamento, acesse: https://coronavirus.rio/vacinacaoemdomicilio/

–  Telefone: (21) 3971-1912 (Para agendamento para pessoas com deficiência com 12 anos ou mais). Atendimento de segunda a sexta, de 9h a 16h. 

– A visita para a vacinação será realizada em até 30 dias após a data da solicitação.

Pesquisa clínica - dose de reforço

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, em parceria com a Fiocruz e o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, realizará um estudo para avaliar a segurança e imunogenicidade (capacidade de produzir anticorpos) da dose de reforço contra a covid-19 em voluntários maiores de 18 anos com esquema vacinal completo há, pelo menos, seis meses.

Mais informações sobre a pesquisa podem ser obtidas por meio do link: https://livs.ini.fiocruz.br/projetos/boost01/