Vacinação contra covid-19

Todas as pessoas com 5 anos ou mais podem receber a primeira dose.

Documentos necessários:

– Documento de identidade, número do CPF e, se possível, a caderneta de vacinação.

– Para a segunda dose e a dose de reforço, é fundamental levar também o comprovante de vacinação da primeira dose.

Documentos necessários para vacinação de crianças (5 a 11 anos):
– Caderneta da criança e um documento de identificação, como CPF.

Locais de vacinação

Clínicas da família e centros municipais de saúde
Confira os horários e locais de funcionamento emprefeitura.rio/ondeseratendido

8h a 17h
Cidade das Artes – Barra da Tijuca
(substitui CF José de Souza Herdy)
Planetário da Gávea
Policlínica Lincoln de Freitas Filho
Santa Cruz
Policlínica José Paranhos Fontenelle Olaria

9h a 17h
Shopping do Méier

10h a 17h
NorteShopping – Cachambi
Shopping Boulevard – Vila Isabel

9h a 15h (12 anos ou mais)
UERJ – Maracanã

9h a 16h (18 anos ou mais)
Corpo de Bombeiros
17º GBM – Copacabana

10h a 16h (12 anos ou mais)
Botafogo Praia Shopping

10h a 16h (18 anos ou mais)
Bangu Shopping

Dose de reforço: quem pode se vacinar

  • Pessoas a partir de 18 anos que tenham tomado a segunda dose ou dose única há 4 meses ou mais.

  • Pessoas com imunossupressão grave (mediante comprovação) com 12 anos ou mais devem receber uma nova dose com pelo menos quatro semanas de intervalo após a segunda dose (AstraZeneca, CoronaVac ou Pfizer) ou dose única (Janssen), sendo que o intervalo recomendado é de 8 semanas. A seguir, uma dose de reforço deverá ser administrada com intervalo a partir de quatro meses.

  • Idosos com 60 anos ou mais devem tomar uma segunda dose de reforço com, pelo menos, quatro meses de intervalo da primeira dose de reforço.


Condições que 
configuram alto grau de imunossupressão:

  • Imunodeficiência primária grave
  • Quimioterapia para câncer
  • Transplantados de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids
  • Uso de corticoide em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥ 14 dias
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune
  • Autoinflamatórias, doenças intestinais inflamatórias
  • Pacientes em hemodiálise
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

 

  • A dose pediátrica da Pfizer é destinada exclusivamente às crianças de 5 a 11 anos, incluindo crianças imunocomprometidas. O esquema recomendado é de 2 doses, com intervalo de 21 dias entre elas.

  • A CoronaVac é indicada às crianças entre 6 e 11 anos, com esquema de 2 doses, com intervalo de 28 dias entre elas. Essa vacina não será aplicada em crianças com comorbidades que sejam imunocomprometidas.

  • Crianças de 5 a 11 anos com deficiência e/ou comorbidades podem se vacinar em qualquer dia do calendário desta faixa etária, independentemente da idade.

  • A imunização de crianças e adolescentes é comprovadamente segura e tem eficácia contra o agravamento da covid-19.

  • Para maiores de 18 anos, é possível antecipar a dose de reforço até o intervalo mínimo de três meses em casos de viagem, problemas de saúde e outras questões pessoais. Para orientação, procure uma unidade de Atenção Primária.

  • Gestantes e puérperas, com e sem comorbidades, por orientação do Ministério da Saúde, receberão apenas as vacinas Pfizer e CoronaVac, de acordo com a disponibilidade. Devem apresentar laudo médico detalhado justificando a recomendação e avaliação da relação risco-benefício para a vacinação, além da assinatura do termo de esclarecimento.

  • Está com sintomas gripais? Faça o teste!

     

Devem apresentar cartão de pré-natal, além da assinatura do termo de esclarecimento.

Gestantes que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca estão autorizadas a completar seu esquema vacinal com a segunda dose da vacina da Pfizer, 12 semanas após a primeira dose. É necessário apresentar comprovante da primeira dose, laudo de avaliação dos riscos e benefícios emitido por seu médico e assinatura do termo de esclarecimento disponível aqui.

Lactantes precisam apresentar indicação do profissional de saúde que realiza o acompanhamento da criança. 

Deficiência física, auditiva, intelectual; psicossocial (mental), visual, múltipla (associação de duas ou mais deficiências), transtorno do espectro autista. CLIQUE AQUI E ENTENDA. 

Pessoas com deficiência psicossocial são aquelas que, apesar do tratamento e medicação otimizados, mantêm uma condição de sofrimento de longo prazo que as incapacita a terem uma participação plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas. O conceito de deficiência psicossocial é definido pela Organização Mundial de Saúde e reconhecido na Lei Brasileira de Inclusão (LBI 13.146/15). As condições clínicas são variadas e o paciente, para ser vacinado, deve apresentar laudo médico que explicite a deficiência psicossocial.

A comprovação poderá ser feita por meio de qualquer laudo da rede pública ou particular que indique a deficiência; cartões de gratuidade no transporte público; documentos comprobatórios de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas no atendimento de pessoas com deficiência; documento oficial de identidade com a indicação da deficiência; ou qualquer outro documento que indique se tratar de uma pessoa com deficiência.

A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência criou pranchas de Comunicação Alternativa que podem ser utilizadas para o apoio ao atendimento de pessoas que não se comunicam por meio da língua portuguesa e/ou sejam não-verbais.

Caso haja a necessidade ou o desejo do paciente que usa Libras de se comunicar, será possível contar com o suporte da Central Carioca de Intérprete de Libras por meio de vídeo-chamada via WhatsApp e/ou Skype pelo número (21) 98909-1373.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A DESCRIÇÃO DAS DEFICIÊNCIAS 

CLIQUE AQUI E BAIXE A DECLARAÇÃO DE RESPONSÁVEL POR CRIANÇA (5 a 11 anos) COM DEFICIÊNCIA

Em caso de alguma queixa clínica após a vacinação, vá ao local onde se vacinou para avaliação.

Tem dúvidas ou divergências sobre o registro de vacinação no ConecteSUS?

Procure a unidade de saúde em que se vacinou com o comprovante de vacinação, documento de identificação com foto e CPF ou Clique aqui para acessar o site prefeitura.rio/suporteconectesus

Vacinação em domicílio:

– O responsável ou acompanhante deve procurar a unidade de saúde de referência e solicitar o agendamento.

– Para solicitar o agendamento, acesse: https://coronavirus.rio/vacinacaoemdomicilio/

–  Telefone: (21) 3971-1912 (Para agendamento para pessoas com deficiência com 12 anos ou mais). Atendimento de segunda a sexta, de 9h a 16h. 

– A visita para a vacinação será realizada em até 30 dias após a data da solicitação.

Pesquisa clínica - dose de reforço

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, em parceria com a Fiocruz e o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, realizará um estudo para avaliar a segurança e imunogenicidade (capacidade de produzir anticorpos) da dose de reforço contra a covid-19 em voluntários maiores de 18 anos com esquema vacinal completo há, pelo menos, seis meses.

Mais informações sobre a pesquisa podem ser obtidas por meio do link: https://livs.ini.fiocruz.br/projetos/boost01/